sexta-feira, 24 de julho de 2009

Boca de Lobo

tela: Jose Luis Fuentetaja
Minh'alma deita suas vísceras no asfalto estrelado,
as tripas ainda esverdeadas digerem
sonhos e vertigens de outros tempos
vejo olhos e âncoras suspensas no espaço.

meu corpo é um cão pardo e faminto,
é uma cidade durante a noite
quando todas as casas trazem seus lixos à porta

Meu coração é um esgoto a céu aberto.

18 comentários:

HornedWolf disse...

Eis um optimo blog...

Tatyane Diniz disse...

Marcia!!!
Profundo esse poema!!!
Hum tanto triste mas perfeito!
beijos

Devir disse...

Que não se engana
em noites de lua cheia
despreza os lixos e luxos...

Gosto disso

Adriana Godoy disse...

Márcia, que intensidade esse poema traz. "meu corpo é um cão pardo e faminto,é uma cidade durante a noitequando todas as casas trazem seus lixos à porta" esses versos me marcaram especialmente. Adoro seus textos e esse é um dos que mais gostei. Bj

BAR DO BARDO disse...

Dor plúmbea...


Ai.

fao disse...

visceral....forte...divulgas sua alma...a céu aberto

Luciano Fraga disse...

Márcia,sempre com intensa versatilidade, tanto na prosa como em poesia,de triturar visceras diante de estrelas,parabéns, forte abraço.
PS. estou buscando seu livro.

entremares disse...

Por isso a gente esconde as tristezas... tapa a sujidade, pinta as paredes da alma.

Quem gosta de ver o coração no chão, as emoções no esgoto, todo o mundo a passar e a pisar as ilusões?

A vida tem que ser mais que um conto, não é?

Um óptimo domingo...

Talita Prates disse...

Quanta angústia
pode suportar
um coração?

Que poema poderoso, Márcia!
Parabéns.
Paz. :)
É minha primeira visita, mas voltarei mais vezes.

Gabriela Galvão disse...

Nêssã!

(Mta riqueza.)

...João Carlos... disse...

"Já carreguei muitos personagens no colo e já chutei sem remorsos muitos homens, cujas vidas mais parecem relatos jornalísticos."

gostei do teu "fruto" criativo>idéias

Klatuu o embuçado disse...

Belo poema! Bem poderia postá-lo n'O Bar do Ossian...

Beijinhos.

Bia Ferreira disse...

Nossa!! triste e bonito!
Lindo dia!

Arabica disse...

Ah se às cidades fosse possível escolher!

Um beijo, Marcinha.

Braga e Poesia disse...

um poema de quem se sente suspenso e nem mesmo o passado acalenta. um poema belo triste e desafiador. um poema de quem não se arrepende do que fez porque fez querendo e sabendo o que estava fazendo.

Devir disse...

"Pai, ..."
Complete essa frase
e a faça sua.

Marcia,
até na Marcha dos Pinguins
podemos entender...

Está nos seus olhos, nos poemas
que cedo ou tarde
voce...

Complete as reticências
e desfaça as suas.

Beijo

Patrícia Lara disse...

Olá!

Navegando pela blogosfera cai no seu mar. Mar de belas reflexões! Adorei tudo por aqui. Voltarei mais vezes, com certeza!

Um agrande abraço e parabéns pelo espaço lindo.

Patrícia Lara

Leticia disse...

adorei seu poema
gosto quando se refere a "tripas esverdeadas"...
e seu blog
a criatividade é imensa
Parabéns