terça-feira, 21 de abril de 2009

Mosaico de Rancores: capítulo 34

Galos cantam e não assustam meus pesadelos. Não existem despertares ou regressos para os seres inóspitos que vivem em vigília. Fendas sustentam meus mundos. As manhãs têm cheiro de carne e sangue, minhas manhãs acordam tateando o ódio dos anoiteceres. Tenho centenas de olhos cobrindo meu corpo e nenhum deles é capaz de prever a verdade. Cataratas, traves e glaucomas. As mentiras são minhas hóstias de cada dia: purifique e ensine-me a morrer um dia de cada vez, enquanto tetos desabam na minha cabeça e partem meus ossos. Fêmur exposto, vértebras e flautas rompidas. As notas das músicas penetram meus ouvidos como lanças quentes. São Sebastião ajoelha em meu altar e chora. E eu penso, se ao menos eu soubesse cantar o mundo não me retalharia. Não seria necessário costurar colchas e mais colchas para reinventar histórias mortas. No entanto, quem acreditaria em uma Sherazade cega e tola? Lucio permanece em silêncio, ruminando seus duelos. E eu sei que alguns cortes e amputações me atingirão, suas espadas me procuram cheias de sutilezas e rancor. Véus despencam do meu rosto e repetem promessas desfeitas. Um rio verde se abre diante de mim e Jesus lava meus pés com devoção divina.

16 comentários:

Luciano Fraga disse...

Estonteante, desesperador.Será que não haverá redenção para os que romperam com as fronteiras incolores das noites de desprezo? Foi só um erro...Consolador,a cerimônia do lava pés.Grandioso texto. Abraço.

Marcos Pontes disse...

Muito amargor, mas também bastante poesia na prosa.

JC disse...

Olá Marcia!
Os teus textos são sempre de uma beleza incrivel. A linguagem, as personagens, a escrita que utilizas é meticulosamente escolhida.
O que te posso dizer é que gosto muito.
Bejinhos

Gabriela Galvão disse...

Vc pinta bem uns meus pensamentos.

Ñ sei se enxergo bem; mas ainda assim, vc seria uma mt, mt boa pintora.


Bisous procê.

Ana Gotz disse...

Que intensidade!

Palavras bem colocadas e docemente assustadoras.

Voltarei!

O empírico disse...

Acho que a maior doença que esses olhos carregam é não deixar perceber quais olhos estão funcionando...

Adriana Godoy disse...

Tenho um pouco de medo dessas coisas...que imagens, menina, que imaginação criativa...uau...vou ler de novo. Bj

f@ disse...

Olá Macia,

Os pesadelos é que assustam os galos…
Qual despertar se os pobres tem ainda as penas em pé…
A c o r dam a mentira com a verdade no canto… dos olhos… fe r i dos ao som desa f i n a d o de ruídos do coração…

Divino teu post … texto sublime,…. Adorei

beijinhos

MagnetikMoon disse...

As delícias do encantamento podem brutalizar uma dose confiante de violência aromática , impressa em jornais atravessados por lanças em nome de uma devoção sarcasticamente apurada.

Magnetikiss;)

Assis de Mello disse...

Marcia,
Esse blog é de cair o queixo.
Estou impressionadíssimo com os seus textos. Você é grande, menina !!!
Um beijo,
Chico

Assis de Mello disse...

Marcia,
Por favor, me passa um e-mail de contato. O meu é gryllus57@gmail.com
Beijão,
Chico

Arabica disse...

As redentoras aguas no lavar da alma.


Um beijo, Márcinha.

Marcos Pontes disse...

Obrigado, Marcia, pelo voto em meu texto, na seleção da Vanessa.
É gratificante ter a confiança e o voto de quem, como você, sabe tratar bem as letras.
Abraço.

kilder disse...

nossa...seu blog é bem "intenso"!!!! cores vivas e essa figura é bem interessante!!!!

t+

Cristiana Fonseca disse...

Olá Marcia,
Não ha em lugar algum uma escrita tão intensa quanto a tua, ela mexe comos meus sentimentos, é incrível quando leio teus textos.
Fico assustada, fico encantada, mas tudo junto.
Tua escrita é marcante e também poética. Simplesmente única e bela.
Beijos,
Cris

BAR DO BARDO disse...

márcia, falei das mil e uma no calibre 12. agora, depois das palavras do sr. assis de mello (chico), eu só vou assinar e colocar o meu cpf...

- henrique pimenta santos - 308494621-34

parabéns!