terça-feira, 15 de julho de 2008

Olhos de ver


Eu acredito que o artista veja além do que lhe é mostrado, e você consegue enxergar?

3 comentários:

pianistaboxeador21 disse...

Adorei a imagem. Ilustra bema idéiados olhos de ver.

Germano disse...

Sensacional conjunção imagem X texto, Márcia!

Ansioso por novos textos!
Quando publicar, pode me avisar que eu venho ler.

Abraços.
Germano
www.clubedecarteado.blogspot.com

Guru Martins disse...

...às vezes enxergo tanto q essa visão até me cega, aí, como num passe de mágica, uma vara-guia brota na minha mão e vou tateando aqui, ali, até conseguir sair dessa escuridão de claridade pra a claridade da escuridão. Sento na porta dela. O que era vara-guia vira violão. Aí sim, tô no meu elemento! Mando uma canção, que do som sai um lume e me abre um clarão nessa caverna. Não acende, nem apaga o negrume, mas aponta uma direção... vou seguindo nesse facho, meio cobaia, meio capacho e invento um caminho. Olho pra traz e vejo tudo. À frente vejo nada. Meto o dedo no instrumento e o som me sai da boca. Com timbragem quase rouca de quem segue no porão...
Há quatro tipos de pessoas: Uma que vem da luz pra luz, outra que vem da luz pro escuro, a que vem do escuro pra luz e a que vem do escuro pro escuro...
Tudo escuro e eu no claro. Observo minha sombra e penso: A qual das quatro eu pertenço?